Enquete

Quais trechos da Bíblia você consulta mais?
Salmos (24.6%)
Evangelho (20.0%)
Antigo Testamento (17.5%)
Novo Testamento (18.3%)
Outros (19.5%)
 
04/08/2017 - 20h47 - Atualizado em 04/08/2017 - 20h47
Pastoral da Comunicação - Itabuna(BA)
TAMANHO DA FONTE A- A+
Francisco retoma a Audiência Geral na Sala Paulo VI

 “Ser baptizado significa ser chamado a difundir a luz da esperança de Deus neste mundo sem esperança”. Ao retomar as Audiências Gerais após a pausa no mês de Julho, o Papa Francisco dedicou a sua catequese ao "Baptismo, como porta da esperança".


Dirigindo-se aos sete mil presentes na Sala Paulo VI, Francisco começou a sua reflexão recordando que nos tempos modernos praticamente desapareceu o fascínio pelos antigos ritos do Baptismo, assim como alegorias que tinham um grande significado para o homem antigo, como a orientação das Igrejas para o Oriente, “local onde as trevas eram vencidas pela primeira luz da aurora, o que nos remete a Cristo”, "que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente."


Permanece intacta em seu significado no entanto – observou o Papa – “a profissão de fé feita segundo a interrogação baptismal, que é própria da celebração de alguns sacramentos”.
Mas, o que quer dizer “ser cristãos?”, perguntou Francisco. “Quer dizer olhar para a luz, continuar a fazer a profissão de fé na luz, mesmo quando o mundo é envolvido pela noite e pelas trevas”:
“Nós somos aqueles que acreditam que Deus é Pai: esta é a luz! Acreditamos que Jesus desceu entre nós, caminhou nas nossas próprias vidas, tornando-se companheiro especialmente dos mais pobres e frágeis: esta é a luz! Nós acreditamos que o Espírito Santo age incansavelmente para o bem da humanidade e do mundo, e até mesmo as maiores dores da história serão superadas: esta é a esperança que nos desperta todas as manhãs! Acreditamos que cada afecto, cada amizade, cada desejo bom, cada amor, até mesmo aqueles mais momentâneos e negligenciados, um dia encontrarão o seu cumprimento em Deus: esta é a força que nos impulsiona a abraçar com entusiasmo a nossa vida todos os dias!”


O Papa recorda então outro sinal “muito bonito da liturgia baptismal, que nos recorda a importância da luz”, que é quando ao final do rito é entregue aos pais da criança - ou ao adulto baptizado - uma vela, cuja chama é acesa no Círio Pascal.


O Círio Pascal que na noite de Páscoa entra na igreja completamente escura, para manifestar a Ressurreição de Jesus:
“Daquele Círio – explica Francisco – todos acendem a própria vela e transmitem a chama aos vizinhos: neste sinal existe a lenta propagação da ressurreição de Jesus na vida de todos os cristãos. A vida da Igreja é contaminação de luz”.


O Santo Padre reitera então a importância de sempre recordarmos do nosso Baptismo, explicando:
“Nós nascemos duas vezes: a primeira à vida natural, a segunda, graças ao encontro com Cristo, na fonte baptismal. Ali somos mortos para a morte, para viver como filhos de Deus neste mundo. Ali nos tornamos humanos como nunca poderíamos ter imaginado. Eis porque todos devemos espalhar a fragrância do Crisma com o qual fomos marcados no dia do nosso Baptismo. Em nós vive e opera o Espírito de Jesus, o primogênito de muitos irmãos, de todos aqueles que se opõem a inevitabilidade das trevas e da morte”.
“Que graça – exclama Francisco – quando um cristão torna-se realmente um “cristóforo”, um “portador de Cristo” no mundo!”, sobretudo “para aqueles que estão atravessando situações de luto, de desespero, de trevas e de ódio”, e isto pode ser percebido por tantos pequenos gestos:
“Da luz que um cristão traz nos olhos, da profunda serenidade que não é afectada mesmo nos dias mais complicados, pelo desejo de recomeçar a querer bem mesmo quando se tenha experimentado muitas decepções”.


“No futuro – pergunta o Papa ao concluir sua reflexão - quando for escrita a história do nosso dia, o que se dirá de nós? Que fomos capazes de esperança, ou que colocamos a nossa luz debaixo do alqueire? Se formos fiéis ao nosso Baptismo, propagaremos a luz da esperança de Deus e poderemos passar para as gerações futuras razões de vida”.


Ao saudar os peregrinos em língua portuguesa, o Papa Francisco citou, em particular, os membros da Fraternidade dos “Irmãozinhos de Assis” presentes.
“Ser baptizados - disse o Papa– significa ser chamado à Santidade. Peçamos a graça de poder viver os nossos compromissos baptismais como verdadeiros imitadores de cristo, nossa esperança e nossa paz”.

Fonte:Rádio Vaticano





 

27 de setembro de 2017
X Seminário de Bispos Referenciais da CEB’s e Leigos aprofunda o 14º Intereclesial

27 de setembro de 2017
Tríduo em Louvor São Francisco de Assis

23 de setembro de 2017
AS PARTES DA MISSA

20 de setembro de 2017
Canavieiras foi palco da Semana Missionária

20 de setembro de 2017
Audiência: “Deus não decepciona, confia no abraço de Cristo”

20 de setembro de 2017
Ajude a construir o monumento do Frei Joaquim Cameli!

20 de setembro de 2017
Legião de Maria e o Ministério de Música participam de retiro em Itabuna

20 de setembro de 2017
Adoração ao Santíssimo Sacramento e Santa MIssa

29 de agosto de 2017
A DOENÇA DA MODA

29 de agosto de 2017
Padre Renato Chiera muda a realidade de meninos de rua vítimas de violência no Brasil

29 de agosto de 2017
Bom Jesus da Lapa recebe 15ª Romaria da Pastoral da Criança

29 de agosto de 2017
Dom Murilo presidirá Missa de 7º dia pelas almas das vítimas do naufrágio

123456
       

Copyright 2014 - Paróquia Santa Rita de Cássia - Todos os direitos reservados.